El Secreto de Sus Ojos (O Segredo de Seus Olhos, Juan José Campanella, 2009)

8,2/10

Enquanto alguns pregam a descoberta da escrita como forma essencial de comunicação, não podemos deixar de exaltar a expressividade corporal como codificação fundamental de valor semelhante, especialmente em um mundo repleto de estímulos que abrangem nossos sentidos o tempo todo. Basta trafegar pelas ruas ou caminhar pelas calçadas para se inserir de imediato em um “mimetismo ambiental capitalista” que parece nos forçar a considerar a paisagem urbana, repleta de poluição visual como trivial (placas de sinalização, outdoors, nomes de marcas, lojas, figuras de mulheres atraentes esnobando um produto fugaz que daqui a cinco meses ninguém mais estará comentando por ter sido suplantado tecnologicamente por outro muito mais eficiente, bem acabado e normalmente com custo/benefício superior).

Este mesmo universo perceptivo nos conduz a vícios e necessidades sem óbices, captadas cerebralmente e geradoras de impulsos em certo grau inconscientes, movimentando uma gigantesca máquina que opera a favor dos plutocratas e grandes instituições, que só existem porque existem pessoas oblíquas as quais permitem esse apoio (nós).

E diante disso, obliteramos, em prol de uma paranóia incessante da busca do maior materialismo possível, manipulando e distorcendo tudo o que mais importa, o mais intenso dessa belíssima forma de expressão: as linhas tênues de um sorriso, o brilho dos olhos apaixonados, o franzir do sobrolho, a amargura de um rosto pesaroso, o levantar dos braços indicando felicidade em uma vitória improvável da vida sobre a tragédia.

O Segredo de Seus Olhos, filme argentino ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro, explora a conexão entre a faculdade de perceber as emoções através de nossa riqueza espiritual, mental e psíquica e suas demonstrações, as quais contemplam alegrias, decadências, tristezas e perseverança. E no âmago de tudo, a paixão, no sentido mais abrangente cujas dimensões nem este substantivo é sequer capaz de descrever. Um alçar de um vôo particular, carente de análise lógica ou textual, mas que simplesmente possui existência própria e independente.

A estória alterna entre dois períodos distantes: um onde um jovem rapaz, imerso em sua ingenuidade e senso de justiça apurado tenta descobrir o assassino de um crime bárbaro, através de um estímulo visual (!), bem como a natureza de seu amor ainda em processo de maturação; e outro, onde o tempo parece ter destruído um bocado dos traços juvenis, mas conferido ênfase ao que realmente era importante, e, principalmente a consciência de que o futuro pode ser determinado pelas escolhas que você faz, e às vezes é possível mudar sua trajetória brutalmente.

El Secreto conta com um excelente elenco, uma estória comum, mas permeada por uma sensibilidade ímpar, instantes hilários e personagens brilhantes, sem delimitações óbvias de gêneros cinematográficos. Porque a paixão não envolve gêneros, envolve signos, e como todo signo, não cabe designação de caráter, porque eles são absolutamente livres para ser o que você achar que são.  E nesse cenário, claustrofobia, humor, drama, ação se misturam em perspectiva. Assim como tem que ser. Porque a vida é assim. E seria muito sem graça se não fosse, não é mesmo?

Anúncios

~ por mrscofield em 02/05/2010.

4 Respostas to “El Secreto de Sus Ojos (O Segredo de Seus Olhos, Juan José Campanella, 2009)”

  1. Amei esse filme! Me choquei no final – e isso eu não vejo como algo positivo porque sou muito mole pra coisas mais sensíveis, rsrs – mas mesmo assim ele não perdeu nadinha no meu conceito. Adorei!

    Boa semana, beijocas.

  2. Shelinha, eu adorei também, especialmente o Morales atendendo aqueles telefonemas, excepcional. Superdivertido em alguns momentos, triste e dramático em outros, maravilhoso no geral.
    Eu não digo que me choquei não (dê uma olhada nos outros filmes que vejo também, hahah) mas eu ADOREI o que vi. Filmaço, para mim até agora o melhor do ano.

  3. Preciso ver este filme urgentemente. Vou ter que comprá-lo para uso particular já que para a locadora não terei cliente que o alugue, infelizmente!

  4. Sério, Movio? O mercado dos filmes estrangeiros fora Hollywood não atrai o público nas locadoras até hoje? Cara, sinceramente achei que esse panorama estivesse mudando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: